História da adoração 11 - Uma música misteriosa de louvor

(adaptado do texto do prof Sikberto Marks)

"Ele fará uso de todas as formas de engano da injustiça para os que estão perecendo, porquanto rejeitaram o amor à verdade que os poderia salvar" (II Tess 2:10)

A história da música de louvor a DEUS tem a mesma idade do ser humano na Terra, e a história da música de contra-louvor chega perto dessa idade. Assim que DEUS instituiu o culto de adoração após a queda de Adão e Eva, satanás tratou de, imediatamente, instituir a sua forma de adoração a ele. E portanto, tratou da música de adoração a ele também, para ter o seu culto, que tanto deseja. Assim como Lúcifer se fez passar como amigo de Eva para enganá-la, do mesmo modo tenta fazer que todos pensem que a música que louva a ele é a que louva a DEUS. Nem poderia ser diferente, pois os recém criados seres, inteligentes, não adorariam a satanás se ele aparecesse dizendo diretamente, este louvor não é a DEUS, mas a seu inimigo...

A história do louvor a satanás é também a história da percussão. E a percussão é, provavelmente quase tão antiga quanto a humanidade. Ela sempre teve por função invocar os espíritos e os deuses das respectivas mitologias. Escavações arqueológicas encontraram objetos petrificados, desenhos em cavernas, esculturas, papiros preservados sobre a música por percussão. O homem primitivo deve ter iniciado a percussão batendo palmas em cadência rítmica, batendo pedras uma na outra ou pedaços de pau, batendo os pés no chão, raspando superfícies rugosas e ao mesmo tempo dançando. Foram achados troncos de árvores que se tornam excelentes meios de comunicação, os tantan africanos. Certos frutos, como as cabaças, depois de secos, transformam-se em chocalhos. Obviamente enquanto isso, cantavam em forma de ritual. Arqueólogos encontraram pegadas antigas que sugerem a utilização do ritmo binário 2 por 4, o mesmo hoje usado pelo samba.

“Os instrumentos de percussão são os mais antigos que existem. Em muitos sítios arqueológicos foram encontradas representações de pessoas dançando em torno de um tambor. Muitos objetos musicais também foram encontrados como toras de árvore fossilizadas, possivelmente usadas como tambores primitivos, e diversas versões de litofones, rochas de diversos tamanhos que eram dispostas sobre um tronco ou buraco no chão, usadas para produzir música melódica por percussão.” (wikipédia, instrumento de percussão).

Consta que as primeiras manifestações musicais se desenvolveram nas regiões férteis às margens de grandes rios, como na Mesopotâmia, no vale do rio Indo, no rio Nilo, no rio Jordão, etc. As pesquisas registram que essas regiões foram ricas em instrumentos musicais e prática musical. A música estava muito ligada a magia, a rituais religiosos, a festas de guerra, à saúde, à criação do mundo e a muitas divindades ligadas à música. Entre os hebreus descendentes de Abraão havia muita música, assim como entre seus vizinhos. A música antiga estava intimamente ligada a busca do transe com os espíritos dos mortos ou com os deuses da mitologia pagã, e aos feitos dos homens.

A ampla variedade de músicas surgidas entre todos os povos, a sua vinculação com divindades, com guerras e com festas influenciaram os rituais religiosos. A adoração pagã foi praticamente determinada pela música da respectiva região. A música sempre teve maior efeito sobre a mente das pessoas que a reflexão e o conhecimento sobre as divindades, ou mesmo sobre o DEUS

Criador. Em todos os tempos, um talentoso músico definia como seria o culto e a adoração. Desde os tempos antigos sempre foi a música que determinada a adoração, e não as doutrinas, que nas religiões naturais antigas nem existiam.

A diferença entre a adoração ao DEUS Criador e aos deuses inventados pelos seres humanos é a música. Assim foi ao longo da história, desde os primeiros tempos depois da queda de Adão e Eva. Uma música estranha e misteriosa de um louvor em que as criaturas tentam, por meio da êxtase, convencer os deuses que venham até elas. Essa música certamente se tornaria global nos últimos dias da grande guerra entre satanás e nosso Senhor JESUS CRISTO. Enquanto a música a DEUS é um suave louvor, a de satanás é uma música de guerra, que mexe com os músculos, que conclama para a ação e para a busca de um poder que não vem de cima. É uma música que excita e agita o espírito, e que está, em nossos dias, fazendo muitos entenderem ser o poder do ESPÍRITO SANTO a se manifestar. Como no início do pecado nessa Terra, como durante esses seis mil anos, assim, agora, no final, por meio de enganos, também satanás tenta seduzir as pessoas a adorarem a ele, pensando estarem sob o poder de DEUS.

REFLEXÃO: "A música, muitas vezes, é pervertida para servir a fins maus, e assim se torna um dos poderes mais sedutores para a tentação. Corretamente empregada, porém, é um dom precioso de Deus, destinado a erguer os pensamentos a coisas altas e nobres, a inspirar e elevar a alma." (Ed. pág. 166)
.

2 comentários:

Du Santana disse...

O que dizer da percussão (uso da bateria) em blaybacks e cds de cantores na própria igreja?

SE eu trazer (fisicamente) a bateria, o instrumento de precussão, para a igreja isso desagradará a Deus, mas se eu trazer a bateria dentro de um CD, num playback isso agradará a Deus?

Não seria mais correto dizer que é a maneira como é tocado e não o instrumento e sua presença, que agrada ou desagrada a Deus?

Se eu tocar uma musica profana num piano ou flauta Deus irá se agradar só pq não é uma bateria?
A bateria como qualquer outro instrumento pode ser usada para louvar a Deus ou ao diabo, a diferença está em quem está tocando.

uma coisa é um ritmo tribal tocado num culto de adoração outra coisa é a marcação do tempo feita por um instrumento de percursão.

Não é a bateria que é um instrumento diabólico, mas o que fazemos com a bateria que determina se esta serve ou não para adoração a Deus.

Marcio Flores disse...

Caro Du, tudo bem?

Grato pelos comentários!

Não tenha dúvida que a presença física ou apenas nas caixas de som da igreja são na verdade a mesma coisa.

Também não tenha dúvida que o instrumento em si não é diabólico, tanto que a bíblia diz que quando Lúcifer foi criado junto a ele haviam "tambores e pífaros" (Ez 28:12-19), portanto, o instrumento é celestial. E vale dizer também que você está corretíssimo ao mencionar que qualquer outro instrumento pode servir ou louvar ao inimigo se estiver nas mãos do "músico errado". Contudo, como este site é adventista do sétimo dia, cremos piamente que o "o testemunho de Jesus" - (Espírito de Profecia) mencionado em Apoc 19:10 foi dado a uma das fundadoras desta igreja e o mesmo nos traz a revelação de que no final dos tempos haveriam de acontecer problemas concernentes ao louvor dentro da igreja e, justamente o instrumento apontado neste louvor espúrio é a bateria e não um piano ou uma flauta, entende?

Este assunto é realmente polêmico... quantas e quantas já foram as discussões internas dentro do nosso próprio meio... não é à toa que igrejas foram "rachadas" ao meio pela divergência de opiniões. A minha foi uma delas.

Não sei de qual comunidade você pertence, mas caso seja adventista, você deve ter estudado recentemente que "jamais devemos estar contra o posicionamento oficial da igreja em questões doutrinárias" portanto, em breve na nossa revista, este assunto será abordado e lá você saberá como este ele está sendo tratado.

O livre arbítrio é assim, nós escolhemos o que vamos fazer! Um ponto é óbvio: se "algo" está dividindo a igreja, criando contendas, descontentamento, preferível é lançar mão deste "algo" que apareceu BEM NO FINAL DOS TEMPOS (justamente na época que satanás está usando todas as suas armas), do que correr o risco de lançar mão de bons relacionamentos, pessoas e talvez correr o risco de andar na contra-mão da vontade de Deus.

Se quiser saber mais, acesse:
http://www.diariodaprofecia.blogspot.com/search?q=bateria

http://www.musicaeadoracao.com.br

Grande abraço, Deus te abençoe

Marcio

Related Posts with Thumbnails